Tratamento de água para irrigação

Os principais problemas associados à qualidade da água de irrigação são a salinizações e sodificação do solo. Ambos processos são conseqüência do depósito de sais durante a irrigação e o aumento da concentração da solução do solo, quando a água é absorvida pelo cultivo e ocorre evaporação desde a superfície.

Em função deste problema, o departamento de engenharia da Unitek do Brasil®, desenvolveu uma linha específica para este tipo de aplicação (osmose reversa). Os diferentes modelos dependem do tipo de água a tratar, e o cultivo a irrigar. Os custos operativos de tratamento de água para irrigação podem variar des$ 0,05 a $0,5, os 1000lt.

A baixa de preços a nível mundial dos insumos de tratamento de água e o aumento do combustível, fazem que cada dia seja mais rentável o tratamento de água in situ, já que o transporte de água tem deixado de ser uma alternativa rentável.

PROBLEMÁTICA

Os resultados de avaliações realizadas em campos de produtores e recopilação de antecedentes nacionais e internacionais, destacam que a magnitude dos efeitos, dependerá das características do solo e cultivo a irrigar, das condições climáticas, da intensidade e frequência da irrigação, da manipulação do solo e do cultivo, e também da irrigação utilizada.

Existem antecedentes de incrementos na condutividade elétrica (CE), relação de adsorção do sódio (RAS), pH e porcentagem de sódio intercambiável (PSI). A irrigação com águas com elevada relação entre bicarbonatos e cálcio, mais magnésio, tem produzido um deterioro das propriedades do solo, dando lugar a precipitação dos cátions divalentes e incrementos do PSI. O conceito de Carbonato de Sódio Residual (CSR), tem em conta os conteúdos de carbonatos e bicarbonatos, os quais podem regular o efeito do sódio. Águas com CE inferior a 0,5dS m-1, particularmente por baixo de 0,2dS m-1, favorecem a lixiviação de sais, minerais e incluindo o cálcio, com efeito sobre a estrutura do solo e reduzindo notavelmente a infiltração. A formação de crosta superficial dificulta a germinação e emergência do cultivo. O excesso de sódio de intercâmbio origina uma deterioro da estrutura, com redução da permeabilidade. As mudanças na densidade aparente da capa superficial, dependem fundamentalmente do tipo de solo. Nos casos em que houve incremento na densidade aparente, o mesmo ocorreu em solos pouco profundos, com drenagem impedida, horizonte textural com altos conteúdos de argila e próximo à superfície.